Instituto Buriti promove atividades de “alfabetização” audiovisual no MS


Nas atividades, os alunos aprendem conceitos básicos de produção: roteiro, câmera, edição

Nas atividades, os alunos aprendem conceitos básicos de produção: roteiro, câmera, edição

O Instituto Buriti, idealizado por Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi com objetivo de promover a integração entre o audiovisual e a educação, começa as atividades em Campo Grande (MS), na Escola Estadual General Malan, de hoje (12) a quarta-feira  (14), das 18h às 22h.

Nas atividades, os alunos aprendem conceitos básicos de produção (roteiro, câmera, edição, entre outros), além de orientação para dividir grupos e tarefas para criação de curtas-metragens ao longo do ano.

Esse primeiro módulo tem como objetivo apresentar novos formatos de ensino e, ainda, engajar e aproximar alunos e professores para desenvolvimento de filmes de curta duração. A equipe do Instituto vai mostrar pra eles que é possível fazer isso com uma câmera fotográfica com filmadora ou até com telefone celular”, afirma o cineasta Luiz Bolognesi sobre as oficinas presenciais, que serão realizadas durante o primeiro módulo do projeto. 

Após esse período, todo o acompanhamento das atividades será realizado à distância, por meio do Portal Tela Brasil, onde alunos e professores poderão dar continuidade ao aprendizado, além de poder trocar experiências com educadores de outros estados. “O maior desafio do Instituto é manter as atividades e o engajamento dos alunos e professores. Por isso, a web é fundamental”, completa Luiz.

No segundo semestre, de agosto a novembro, as escolas públicas voltam a receber a equipe do Instituto Buriti por mais quatro dias para um novo ciclo de palestras e para finalização dos filmes produzidos nesse período. Para que todos possam conferir o resultado dos meses de trabalho de produção, será organizado um dia para exibição dos curtas-metragens, que será aberto para toda comunidade ao redor da escola.  

Com patrocínio da CCR e Fundação Telefonica Vivo, o programa do Instituto Buriti tem como meta atingir cerca de 250 alunos e professores até o final de dezembro de 2014.

FUÁ 2013 recebe inscrições até dia 27 de agosto


FuaA Fundação de Cultura do governo do Estado lançou o edital de inscrições para o 7º Festival Universitário Audiovisual de Mato Grosso do Sul (FUA), cuja premiação acontece dia 28 de outubro. A novidade este ano é aumento nos valores dos prêmios. As inscrições vão até o dia 27 de agosto.

O projeto irá premiar 36 obras audiovisuais (primeiros, segundos e terceiros lugares) produzidas por acadêmicos ou recém formados de todo o Brasil. Este ano o FUÁ distribuirá R$ 400, R$ 800 e R$ 1.600 para os três primeiros colocados em cada uma das 12 categorias em disputa.

O FUÁ garantiu espaço nos últimos anos para a produção independente, estimulando a formação de novos artistas do audiovisual. Foi criado com a finalidade promover e incentivar a criação de vídeos e produtos radiofônicos produzidos por estudantes ou recém graduados. Em 2011 chegou a 205 inscrições vindas de todo o País, 80 a mais do que no ano anterior. Em 2012 foram 201 trabalhos inscritos.

“O projeto tem a característica de integrar os universitários e não fica apenas vinculado à premiação. Através do incentivo do FUÁ foram realizadas oficinas e palestras que garantiram o crescimento em quantidade e qualidade de produções audiovisuais no Estado. É muito gratificante”, explica Lidiane Lima, técnica de audiovisual da Fundação de Cultura e organizadora do Festival.

Conheça as categorias em disputa:

Vídeo Ficção: A ficção audiovisual nada mais é do que uma sequência elaborada de imagens e sons reproduzidos tecnicamente (fotografia, gravação magnética, animação e etc.). A forma como estes elementos reproduzidos são organizados leva o espectador à percepção de uma realidade à parte. Esta realidade faz sentido somente dentro do filme, e neste limite exclusivo ela é coesa e coerente. Duração: até 20 minutos.

Vídeo Documentário: É uma corrente cinematográfica que se caracteriza pelo compromisso com a exploração da realidade, mesmo que parcial e subjetiva. John Grierson, criador do termo cinema documentário, assim o define: “É o tratamento criativo da realidade”. Duração: até 20 minutos.

Vídeo Trash: Em grande parte, um vídeo trash demonstra intenção de um discurso fílmico tradicional que não é atingido. São produções que buscam atingir as características de qualidade tradicionais e não conseguem ou que são produzidos para serem especificamente trash em qualquer gênero (drama, comédia, terror). Duração: até 15 minutos.

Vídeo Experimental/Arte: É a aplicação da tecnologia do vídeo em artes visuais. Ou seja, é um meio que serve de veículo para o discurso do artista criador de videoarte. Predominam as seguintes características: não ser realizado no sistema industrial; não ser distribuído nos circuitos comerciais; não visar à distração nem rentabilidade; ser majoritariamente não-narrativo; trabalhar questionando, desconstruindo ou evitando a figuração. Duração: até 10 minutos.

Vídeo Institucional: Material audiovisual voltado aos objetivos de uma instituição, seja ela pública, privada ou ONG. O vídeo institucional deve refletir as idéias, conceitos, práticas e métodos, entre outras características, que demonstrem como atua a instituição a que se refere. Duração: até 5 minutos.

Vídeo Reportagem Jornalística: O vídeo reportagem está inserido no âmbito da produção jornalística e como tal deve atender aos preceitos jornalísticos. Desta forma pode informar, analisar ou discutir ideias, mas elas devem necessariamente referir-se à realidade. Duração: até 5 minutos.

Vídeo Publicitário: O vídeo publicitário é a peça audiovisual de uma campanha publicitária. Esta deve atender às necessidades publicitárias do produto, marca, serviço ou ideologia a que se refere sem a necessidade de peças complementares. Duração: exatamente 15 segundos ou exatamente 30 segundos.

Videoclipe: Os elementos básicos constituintes do videoclipe são a música, a letra e a imagem, que, manipulados, interagem para provocar a produção de sentido. Os aspectos (características) de como estes elementos são construídos incluem a montagem, o ritmo, os efeitos especiais (visuais e sonoros), a iconografia, os grafismos e os movimentos de câmera, entre outros. Para essa categoria será necessário a autorização da banda ou artista para a realização do vídeo. Duração: até 7 minutos.

Animação: Processo em que cada fotograma de um filme é produzido individualmente, podendo ser gerado por computação gráfica ou fotografando uma imagem desenhada ou objeto repetidamente, fazendo apenas pequenas mudanças. Quando os fotogramas são ligados entre si o filme resultante é uma ilusão de movimento contínuo. Duração: até 5 minutos.

Jingle: Um jingle é uma mensagem publicitária musicada e elaborada com um refrão simples e de curta duração, a fim de ser lembrado com facilidade. É uma música feita exclusivamente para um produto ou empresa. É geralmente uma peça de áudio ou vídeo utilizada por emissoras de rádio ou TV para identificação da marca, canal, frequência. Pode ser falada ou cantada. É um slogan memorável, feito com uma melodia cativante, para “prender” na memória das pessoas. Serão aceitas produções em vídeo e áudio. Duração: até 5 minutos.

Documentário Jornalístico ou Educativo para Rádio: Tem como característica uma profundidade na abordagem, mesclando pesquisa documental, medição de fatos, comentários de especialistas e de envolvidos no acontecimento; desenvolvendo uma investigação sobre um fato ou conjunto de fatos reais, oportunos e de interesse atual, de conotação não artística. Duração: até 10 minutos.

Programa Ficcional/Rádionovela: O drama ou o humor são expressões da representação do real e do cotidiano que se caracterizam no rádio através da “radiofonização”, ou seja, da tradução para a linguagem radiofônica de textos originais ou adaptados, inéditos ou publicados de obras literárias, peças de teatro, roteiros de cinema, vídeo e textos escritos especialmente para áudio. Duração: até 10 minutos.

Serviço

O edital do 7º Festival Universitário Audiovisual está disponível no Diário Oficial do Estado ou na página da Fundação de Cultura, no banner Editais. As inscrições vão até o dia 27 de agosto.

Igreja Católica promove Cine Cristo


O grupo de jovens da Igreja Católica que fazem parte do “Segue-Me” realizam hoje a partir das 19h30, mais uma sessão do Cine Cristo no Salão Paroquial em frente ao prédio dos Correios.
Coordenado pelos jovens Márcio Lima Júnior, Rodrigo Cruz e João Guilherme Gavino Dantas, nesta edição será exibido o filme “Sim, Senhor”, uma comédia com Jim Carey baseada no livro do comediante britânico Danny Wallace. Segundo João Guilherme, a iniciativa visa oferecer uma opção de lazer a mais aos aquidauanenses, acompanhado de um momento de oração e espiritualidade. “Nossa proposta é integrar as pessoas, criar uma interação, além de evangelizar”, afirma o jovem.
Para os próximos meses, a equipe de jovens do “Segue-Me” pretende levar o projeto para demais comunidades católicas, principalmente nos bairros carentes. Além da entrada franca, serão distribuídos pipoca gratuitamente para os que prestigiarem a sessão.
Fonte: ACS/Aquidauan