Filmambiente – Festival Internacional do Audiovisual Ambiental


destaque-filmambienteCom 62 filmes brasileiros e estrangeiros na programação, todos com exibição gratuita, começa na próxima quinta-feira (4), no Rio de Janeiro, a quarta edição do Filmambiente – Festival Internacional do Audiovisual Ambiental. Este ano o evento terá a presença, entre os convidados, de cineastas estrangeiros e diretores de outros festivais internacionais sobre o tema, e pela primeira vez irá às zonas norte e oeste da cidade com exibições de filmes nas Naves do Conhecimento, da prefeitura do Rio.

Os filmes da mostra, que vai até o próximo dia 10, foram selecionados entre produções recentes apresentadas em importantes festivais mundiais, como os de Cannes e Berlim, e também entre os mais de 400 inscritos. O Filmambiente tem uma mostra competitiva, de longas e de curtas-metragens, e cinco mostras paralelas.

Filmambiente – Festival Internacional do Audiovisual AmbientalO tema central desta edição, Porque o Futuro Chegou, está expresso em filmes que contam a história de pessoas que lutam para mudar as expectativas e criar um futuro melhor para o planeta. É o caso de Virunga, produção britânica dirigida por Orlando von Einsiedel, que abre o festival às 21h do dia 4, no Espaço Itaú de Cinema, em Botafogo, zona sul do Rio.

O documentário conta a história de pequena equipe de guardas florestais que protege o Parque Nacional de Virunga, no Congo, África, um dos lugares mais ricos em biodiversidade no mundo, que abriga os últimos gorilas da montanha. Além de defender o parque – patrimônio mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) -, a equipe enfrenta as ameaças de um grupo rebelde do país africano.

“Já é tempo de resolver os problemas ambientais, de mostrar as soluções para eles”, enfatiza Suzana Amado, diretora e idealizadora do Filmambiente. Os filmes desta edição mostram o que as pessoas estão fazendo para resolver as questões”. Atitudes políticas em prol do meio ambiente e da sustentabilidade também estão presentes nos outros sete documentários de longa-metragem da mostra competitiva, entre eles o brasileiro Naquela Época e Hoje, de Luiz Adelmo Manzano, que aborda a preocupante situação da saúde das pessoas, em plena era da informação, apesar da evolução científica e tecnológica.

Seis diretores estrangeiros debaterão seus filmes com o público após as sessões. Além dos oito longas, 25 curtas estão na competição, exibidos em sessões também no Espaço Itaú de Cinema. São documentários, filmes de ficção e de animação, de 20 países tão diversos quanto as temáticas abordadas.

Entre as mostras paralelas, a Cine’Eco 20 Anos, que será apresentada no Instituto Moreira Salles (IMS), homenageia as duas décadas do festival de cinema ambiental na cidade de Seia, em Portugal. O diretor da Cine’Eco, Mario Branquinho, é um dos convidados do Filmambiente e participa no dia 9, às 18h30, no Oi Futuro Ipanema, do painel Meio Ambiente: Evolução Temática e de Abordagem nos Últimos 20 Anos. Com mediação do jornalista Agostinho Vieira, o painel terá como debatedores o economista e ecologista Sergio Besserman e a jornalista e cineasta Paula Saldanha.

Filmambiente – Festival Internacional do Audiovisual AmbientalOutra discussão terá lugar no sábado (6), às 16h, no Museu do Meio Ambiente, no Jardim Botânico, quando será exibido, fora da mostra competitiva, o filme brasileiro O Veneno Está na Mesa 2, de Silvio Tendler. O novo documentário do cineasta, que participará de debate após a exibição, dá continuidade à reflexão sobre o perigo que o uso de agrotóxicos representa para a saúde, mostrada no primeiro filme dele sobre o tema, lançado em 2011.

O Veneno Está na Mesa 2 também será exibido na Nave do Conhecimento de Madureira, zona norte do Rio, uma das quatro – as outras ficam na Penha, no Irajá e na Vila Aliança – que terão sessões do festival, voltadas para alunos das escolas públicas e para os moradores desses bairros. Para as exibições nas Naves do Conhecimento, os organizadores do Filmambiente programaram documentários brasileiros que tratam de qualidade de vida e de alimentação.

“A proposta é expandir o festival e sair do circuito zona sul. Principalmente com o propósito de atrair crianças e alunos da rede de ensino, de trabalhar na formação de plateias interessadas no cinema ambiental”, defende Suzana Amado, que aposta na parceria com a prefeitura carioca para a ampliação dos espaços de exibição do festival.

Os filmes vencedores da mostra competitiva serão exibidos no dia 11, a partir das 18h30, no Oi Futuro Ipanema, espaço que também participa pela primeira vez do festival. A programação completa está disponível no site http://www.filmambiente.com.

Paulo Virgílio – Repórter da Agência Brasil
Edição: Stênio Ribeiro

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba 2014


Festival Internacional de Curitiba 2014 - Olhar de Cinema

Festival Internacional de Curitiba 2014 – Olhar de Cinema

A partir do dia 28 de maio ocorre o terceiro Olhar de Cinemafestival internacional de Curitibarealizado pela produtora de cinema Grafo Audiovisual- com patrocínio da VOLVO e do BNDES e apoio cultural do SESI-PR.

Além da exibição de filmes de diversos gêneros, estilos e nacionalidades, o evento conta com a realização de oficinas gratuitas paralelas ao festival. “O Som no Cinema”, “Introdução ao Universo da Direção de Arte” e “Preparação de Elenco” são as oficinas deste ano, e as inscrições podem ser feitas pelo site até o dia 2 de maio: olhardecinema.com.br/oficinas.

Este ano o Festival bateu o recorde de inscrições, com 2.525 filmes vindos de 97 países diferentes. Estes filmes devem ser exibidos no Shopping Crystal (Espaço Itaú de Cinema) e na Cinemateca de Curitiba, até o dia 5 de junho. Os ingressos podem ser adquiridos nestes mesmos locais a partir do dia 22 de maio, sendo R$5,00 a entrada inteira e R$2,50 a meia.

A programação do Olhar de Cinema 2014 estará disponível a partir do dia 15 de maio e poderá ser conferida no site oficial do evento: olhardecinema.com.br


#ObservaCine Perfil IIIGostou? Curta a página do Olhar De Cinema 2014 no Facebook e fique atento às novidades!

Quer ficar ainda mais perto deste grande festival de Cinema? A equipe organizadora do evento está procurando por voluntários! Saiba mais: Voluntários no Olhar de Cinema.

Festival Nacional de Cinema e Vídeo Percepções


Continuam abertas as inscrições para o 4º Festival Nacional de Cinema e Vídeo Percepções.

São quatro mostras: ficção, documentário, animação e criança.

Os filmes e vídeos devem ser enviados até 30 de outubro/2009.

Além das exibições diárias, o Festival vai oferecer (gratuitamente) apresentações artísticas, oficinas, palestras e debates sobre produção audiovisual.

O evento acontece de 3 a 5 de dezembro/2009 na cidade de Muriaé – MG.

Inscrições e outras informações: http://www.faminas.edu.br/percepcoes

Aliris Fintelman
Assessoria de Comunicação

Contato
festivalmuriae@yahoo.com.br
festivalcinema@yahoo.com.br
adrianomr@faminas.edu.br
jornalismo@faminas.edu.br

Laboratório de TV – Faminas – Faculdade de Minas
Av. Cristiano Ferreira Varella, 655
Bairro Universitário – Muriaé – MG
CEP 36880-000

42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro


A coordenação da 42ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro divulgou, nesta quarta-feira (21), a relação das produções selecionadas para a mostra. Ao todo, 366 filmes foram inscritos, sendo 52 de Brasília. Considerado um dos mais importantes do país, o Festival acontecerá entre os dias 17 e 25 de novembro.

De acordo o coordenador do FBCB, Fernando Adolfo, as produções são de ótima qualidade. Ele também comemora o número de produções. “Brasília mantêm-se, de fato, no circuito do cinema nacional. Embora seja uma cidade muito jovem, só ficamos atrás de Rio e São Paulo”, declarou.

O secretário-adjunto de cultura, Beto Sales, destacou a qualidade da produção cinematográfica do Distrito Federal. “Este é um Festival de números grandiosos e Brasília destacou-se no número de produções inscritas. O que é, sem dúvida, um dos reflexos do aumento dos recursos do Fundo de Apoio à Cultura, somado a boa escola de áudio-visual de nossa capital”, disse.

Para saber quais filmes forão selecionados clique aqui.

Festival Cine Cultura Viva


Festival Internacional de Cinema de Salvadorcomeça dia 8


A 6ª Edição do Festival Internacional Cinema de Salvador vai acontecer entre os dias 8 e 22 de outubro. O tema do evento este ano é Cinema e Mídias Móveis.

A programação vai ocupar cinco espaços do Circuito Saladearte (Cinema do Museu, Cinema da UFBA, Cine ViVO, Cinema do MAM e Cine XIV) com mostras de filmes, oficinas, mesas-redondas e sessões especiais.

O Festival Internacional Cinema de Salvador é uma verdadeira maratona cultural de cinema e vídeo realizada uma vez por ano com o objetivo de trazer ao público baiano um vasto painel do cinema feito hoje no mundo, sem perder de vista a cinematografia nacional.

01/10/2009 – 17h14m

*Da Redação, com informações de assessoria
redacao@portalibahia.com.br

Festival de Cinema na Floresta divulga premiados


Realizou-se no último sábado (26), a cerimônia de premiação do III Festival de Cinema na Floresta. O evento aconteceu  no Centro Cultural e de Eventos de Alta Floresta (MT). Destaque do Festival, o documentário ‘Piõ Höimanazé: A mulher Xavante em sua Arte’ de Cristina Flória, de São Paulo/SP recebeu o prêmio de melhor filme da Mostra Viva Floresta Viva.

O filme também foi escolhido como o melhor filme do Festival pelo Conselho Nacional de Cineclubes, que atribuíu o Prêmio CNC de Melhor Média metragem. “É uma alegria muito grande sermos agraciados com prêmios como estes. Dedico esta conquista às minhas guerreiras Xavantes pelo belíssimo trabalho que eles desenvolvem em suas tribos”, disse Cristina Flória ao receber os prêmios.

Composto pela presidente da ABD NacionalSolange Lima, pelo Secretário Geral doCNC – Conselho Nacional de Cineclubes BrasileirosJoão Baptista Pimentel Neto e pela produtora Tati Mendes, o Júri Oficial atribuíu o prêmio de Melhor Videoclipe ao clip ‘A Janela’ de Rafael Jardim de Salvador, BA. Na categoria curta metragens o vencedor foi ‘Calango Lengo: Morte e vida sem ver água’ de Fernando Miller de São Paulo, SP. O curta recebeu ainda o Prêmio CNC de Melhor Curta metragem de Animação. Nesta categoria, o Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros também premiou o curta ‘Darluz’ de Leandro Goddinho, de São Paulo, SP ao qual foi atribuído o Prêmio CNC – Melhor Curta metragem do III Festival de Cinema na Floresta.

Na categoria de média metragem o júri escolheu ‘Memórias Finais da República de Fardas’ de Gabriel Marinho, de Brasília/DF. E o longa metragem agraciado com o prêmio de Melhor do III Festival de Cinema na Floresta foi ‘Belowars’ de Paulo Munhoz, de Curitiba, PR.

Elenor Cecon Júnior, diretor de produção do Festival, avaliou como positivo a realização do evento. “Sabemos que muito tem ainda a ser feito, mas a terceira edição do Festival de Cinema na Floresta, com certeza foi a melhor já realizada pelo Cineclube Floresta. Tudo isso, deve-se é claro, à grande contribuição das pessoas que colaboraram com a sua realização, aos diretores dos filmes que se inscreveram, aos filmes selecionados, aos convidados que ministraram palestras, oficinas, debates, aos empresários que acreditaram no evento, ao governo federal através da Lei de Incentivo à Cultura. Enfim, todos que de uma maneira ou outra, contribuíram para que este evento fosse realizado da melhor maneira possível”, declarou. “Para 2010, grandes novidades estão programadas para quarta edição do Festival que acontecerá de 12 a 18 de setembro”, finalizou.

O III Festival de Cinema na Floresta contou com o patrocínio do Governo Federal através da Lei de Incentivo à Cultura, da Prefeitura Municipal de Alta Floresta e recebeu apoios do Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros, da Associação Brasileira de Documentaristas, do CBDC – Centro Brasileiro pela Diversidade Cultural, empresariado local e imprensa.

Antes da premiação, houve a projeção do documentário “Memórias do Cinema”. O curta metragem foi resultante da oficina de cinema ‘Do Argumento à Finalização’ desenvolvido pelo cineasta mato-grossense Amauri Tangará, com quinze alunos, durante cinco dias.

“A cada ano que passa fico mais impressionado com o trabalho desenvolvido em Alta Floresta. É o terceiro ano consecutivo que realizo esta oficina durante o festival e percebo que o nível das produções sempre supera as expectativas”, disse Tangará ao apresentar o documentário para a exibição.

Agostinho Bizinoto, presidente do Cineclube Floresta, entidade organizadora do festival, fez a entrega de troféus ‘Capivarinha’ para os convidados. “Este troféu é o símbolo de nosso reconhecimento e gratidão pela contribuição que vocês fazem para a produção audiovisual de nossa região”, disse Agostinho.

Ao receber a homenagem, João Batista Pimentel Neto, secretário geral do Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros, declarou que mais do que tudo o Festival de Cinema na Floresta é a prova viva da dedicação de seus idealizadores. “Estive aqui na primeira edição do festival, ocasião em que fundamos o Cineclube Floresta. Hoje, passado dois anos, vejo que aquela semente, regada pela dedicação e trabalho de pessoas realmente compromissadas com a cultura e com o audiovisual tornaram o Festival de Cinema na Floresta em um evento reconhecido pela população local e que prepara Alta Floresta para que venha a se transformar numa cidade pólo de produção e exibição audiovisual em Mato Grosso. Portanto, estou muito satisfeito e emocionado em poder contribuir e participar deste processo.” – finalizou.

Também homenageado, o cineasta e presidente do CBDC, Geraldo Moraes afirmou que a realização do festival e das atividades paralelas consolidam Alta Floresta como um portal da Amazônia para todo o Brasil. “Fico muito honrado em poder estar novamente contribuindo para a realização deste evento, que ano após ano, cresce e se consolida dentro do calendário cultural do Mato Grosso” – declarou.

“Deixo Alta Floresta com uma ótima impressão. De ver que aqui também se produz um evento de elevado nível e de grande importância para o cinema brasileiro”, disseSolange Lima, presidente da Associação Brasileira de Documentaristas

Festival de Brasília recebe inscrições até dia 30


Encerram-se no dia 30 de setembro as inscrições para o 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que este ano se realiza entre 17 e 24 de novembro. Este ano um total de R$ 470 mil em prêmios será distribuído entre os vencedores, sendo R$ 220 mil para longas em 35mm; R$ 70 mil para curtas ou médias em 35mm e R$ 65 mil para curtas em formato digital.

Os eleitos pelo público receberão R$ 30 mil (melhor longa) e R$ 20 mil (melhor curta ou média). Já o prêmio da Câmara Legislativa, destinado a produções do Distrito Federal, distribuirá R$ 65 mil, sendo R$ 50 mil para o melhor longa em 35mm, R$ 10 mil para curta em 35mm e R$ 5 mil para um curta digital. A ficha de inscrição e o regulamento estão disponíveis no site da Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal (www.sc.df.gov.br) e no site do festival (www.festbrasilia.com.br).