Abertas as inscrições do Festival de Vídeo Plural+


Festival Vídeo Plural+1Jovens de todo o mundo de até 25 anos podem inscrever vídeos de até cinco minutos no Festival Plural+. Organizado pela Aliança das Civilizações das Nações Unidas (UNAOC) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM), o Festival busca vídeos criativos sobre inclusão social, migrantes, respeito à identidade, à diversidade e aos direitos humanos. As inscrições podem ser feitas em inglês, francês e espanhol; prazo é dia 4 de junho.

O Festival de Vídeo Plural+ 2017 convida os jovens de todo o mundo a inscrever trabalhos criativos focados nos temas de migração, diversidade e inclusão social. Organizado pela Aliança das Civilização das Nações Unidas (UNAOC) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e diversos parceiros, o Festival recebe inscrições até o dia 4 de junho de 2017.

Num mundo caracterizado pela intolerância e divisões culturais e religiosas, é imperativo que os jovens sejam reconhecidos como poderosos agentes de transformação social. O Festival encoraja que os jovens tratem de desafios e oportunidades relacionados a inclusão social, integração de migrantes, respeito a identidade, diversidade, direitos humanos e xenofobia.

O Festival é destinado a jovens de até 25 anos e os vídeos devem ter no máximo 5 minutos. A premiação é dividida em categorias etárias (até 12 anos, de 13 a 17 anos e de 18 a 25 anos) e os vencedores serão escolhidos por um júri internacional independente.

Os vencedores das três categorias receberão mil dólares e apresentarão seus trabalhos numa cerimônia de premiação em Nova Iorque com despesas aéreas e de hospedagem pagas. Prêmios adicionais de parceiros podem incluir equipamentos, viagens ou oportunidades profissionais – veja aqui premiações anteriores.

Conheça os vencedores de 2016 aqui. Acesse o regulamento do festival em inglês ou espanhol.

Informações completas em https://pluralplus.unaoc.org

Anúncios

Ancine recebe obras nacionais para Festival de Cinema de Havana


havana-qualquer-dataAté o dia 28 de agosto, a Agência Nacional do Cinema (Ancine) recebe DVDs de obras audiovisuais brasileiras para participação no 37º Festival Internacional do Novo Cinema Latino Americano, em Havana, Cuba, que será realizado entre os dias 3 e 13 de dezembro.

Interessados em enviar seus filmes para Havana devem ler atentamente o regulamento no site do festival, preencher e enviar o formulário pela internet e, em seguida, encaminhar o DVD da obra inscrita para o escritório da Ancine. A Assessoria Internacional da Ancine receberá o material e o remeterá para a organização, facilitando o contato dos realizadores brasileiros com os organizadores do evento. A Agência não fará qualquer tipo de seleção dos filmes, ficando esse trabalho restrito aos curadores do Festival. Inscrições nas competições de roteiros e de cartazes devem continuar sendo feitas diretamente junto ao evento, sem a participação da Ancine no processo.

A página do festival informa que as inscrições irão até o dia 30 de agosto, mas esse é o prazo final para recebimento do material em Cuba – a data de recebimento no Brasil precisa levar em conta o tempo da remessa entre os dois países. Assim sendo, materiais recebidos na Ancine após o dia 28 de agosto não serão encaminhados ao evento, sendo devolvidos aos realizadores.

Envie sua inscrição pelo correio, com aviso de recebimento, ou entregue junto ao protocolo do Escritório Central da Ancine no Rio de Janeiro, em envelope contendo todas as informações abaixo:

ANCINE – ASSESSORIA INTERNACIONAL
Ref: INSCRIÇÃO NO FESTIVAL DE HAVANA
Rua Graça Aranha, 35 – 11º Andar – sala 1101
Rio de Janeiro – RJ
CEP: 20030-002

O Festival de Havana faz parte da lista do Programa de Apoio à Participação de Filmes Brasileiros em Festivais Internacionais da Ancine. Produções selecionadas para a Seção Competitiva Oficial podem solicitar à agência o
apoio do tipo A, que consiste na confecção e envio da cópia legendada, e apoio financeiro para a promoção do filme.

Clique aqui e saiba mais sobre o programa
Para mais informações, envie uma mensagem para
assessoria.internacional@ancine.gov.br

Ancine
Ministério da Cultura

13º FIKE – Festival Internacional de Curtas Metragens


fike2Quarenta e oito filmes de 17 países estarão em competição na13º edição do FIKE – Festival Internacional de Curtas Metragens, que decorrerá entre os dias de 9 e 13 de junho nas cidades de Évora, Beja e Portalegre.

Segundo a organização, as curtas-metragens que disputam a competição internacional nas categorias de Ficção, Documentário e Animação, são provenientes da Argentina, Israel, Austrália, Tunísia, Vietnam, Camboja, Rússia, Polónia, Eslováquia, Alemanha, Bélgica, França, Suécia, Suíça, Itália, Espanha e Portugal, que conta este ano com onze curtas (5 filmes de animação, 1 documentário e 5 obras de animação) a disputar os troféus do festival.

O FIKE 2015 conta com cerca de 40 estreias internacionais. Ao todo, estarão em exibição mais de 100 filmes, em competição e nas mostras paralelas. As sessões decorrerão no Auditório da Universidade de Évora, no Teatro Pax Julia, em Beja, e no Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre.

O Júri Oficial do festival integra este ano a actriz portuguesa Adelaide Teixeira, o italiano Carlo Dessi, director artístico do SFF – Sardinia Film Festival, e o músico norte-americano e compositor de bandas sonoras Nik Phelps.

O FIKE tem como director João Paulo Macedo e é promovido pela SOIR – Sociedade de Instrução e Recreio Joaquim António de Aguiar, Associação “Lua aos Quadradinhos”, pelo Cine Clube da Universidade de Évora em parceria com a Estação Imagem e associação cultural bejense Lêndias d’Encantar.

“Fitas” públicas no cinema comercial

No final do mês em curso, a cidade ficou a saber que o cinema comercial pode estar de regresso. A Câmara Municipal de Évora aprovou (votos favoráveis da CDU e do PSD e abstenção do PS) duas propostas que, segundo a autarquia, permitem o retorno do cinema comercial à cidade. A primeira diz respeito à constituição de lote para instalação de um cinema em terrenos anexos ao Terminal Rodoviário e a segunda incide na atribuição desse lote à firma Algarcine – Empresa de Cinemas.

Diz a CME que “por forma a agilizar prazos para a fruição do equipamento pela população e atendendo à necessidade de ser garantida uma solução urbanística e arquitetónica de qualidade, tendo em conta a localização do terreno, irão os serviços municipais a elaborar o Projeto Base de Arquitetura (Ante Projeto) do edifício, naturalmente dando resposta aos requisitos técnicos e layout a definir pelo futuro adquirente”. A cedência do lote é exclusivamente destinada à construção de cinema, sob pena de reverter para a Câmara caso a finalidade seja alterada.

“Esta é a forma da autarquia procurar responder a um problema da cidade, uma vez que não dispõe de verba para recuperação ou construção de tal equipamento, prevendo o promotor que a breve prazo o cinema, constituído por três salas, entre em funcionamento”, pode ler-se num comunicado da CME.

A Algarcine possui quatro cinemas no Algarve e dois no Alentejo. Évora viu encerrar, em 2009, as únicas duas salas de cinema em funcionamento na cidade

A abstenção socialista teve direito a declaração de voto: «Abstivemo-nos nesta proposta de atribuição de um lote à empresa Algarcine para a construção de um cinema em Évora, partindo do princípio até de que se trata de cinema dito comercial que à data não existe em Évora, porque não queremos inviabilizar a possibilidade de os Eborenses usufruírem desta actividade de lazer. Esta proposta vem, aliás, comprovar que, ao contrário do que muito se quis fazer crer aos Eborenses, actualmente o cinema comercial só se pode constituir como uma actividade regular e consistente pela iniciativa privada. No entanto, a proposta enferma de algumas zonas menos claras e não suficientemente esclarecidas (…) Tratando-se de uma iniciativa privada, poderíamos enquanto responsáveis pela gestão pública de bens públicos não nos meter nesse assunto e deixar a preocupação com o futuro do negócio a quem vai fazer esse negócio. Ainda assim, a proposta pressupõe um apoio público que, se agora se constitui como apoio à iniciativa, importa equacionar no que pode acontecer no caso da iniciativa, privada, se gorar no futuro.”

Marionetas adiadas para 2016

Noutros sectores da actividade cultural em Évora, o destaque pela confirmação recente do adiamento da edição deste ano da Bienal Internacional de Marionetas de Évora (BIME), prevista para Junho. Por de financiamento atempado de fundos comunitários, Centro Dramático de Évora (CENDREV) anunciou que a 13.ª edição será realizada apenas em 2016. “Os Bonecos de Santo Aleixo são os dignos anfitriões da festa das marionetas que a cidade Património Mundial já se habituou a viver, daí que não seria esta a notícia que gostaríamos de dar, mas os caminhos tortuosos porque passa a cultura no nosso país, determinados seguramente pela malfadada crise, empurraram-nos para esta decisão: não haverá BIME este ano, mas queremos anunciar simultaneamente a concretização da sua 13ª edição em 2016, de 31 de Maio a 5 de Junho e o acerto do calendário da BIME com a 14ª edição, de 30 de Maio a 4 de Junho de 2017. Este compromisso é possível devido ao acordo firmado entre o Cendrev, a Câmara Municipal de Évora, a Entidade Regional de Turismo e a Direcção Regional de Cultura do Alentejo”, refere um comunicado da organização da BIME

Circuito Tela Verde 2015


Circuito Tela Verde 2015Prazo para envio de vídeos socioambientais da 6ª Mostra encerra neste sábado (31/01)

Cineastas profissionais e amadores interessados em participar da 6ª Mostra Nacional de Produção Audiovisual Independente, do Circuito Tela Verde (CTV), têm até sábado (31/01) para enviarem suas produções.

Os vídeos podem ser documentários, curtas, vinhetas e animações, produzidos a partir de filmadoras, câmeras digitais, celulares ou qualquer outro equipamento que capture imagem e som.

Podem participar escolas, redes de meio ambiente e educação ambiental, estruturas educadoras, entidades da sociedade civil, comunidades e produtores.

Os vídeos enviados, após seleção, farão parte de um kit composto por cartazes e orientações para realização da mostra,
 sinopses dos filmes, cartaz e adesivo para identificação dos espaços exibidores e DVDs, contendo os vídeos. Esse material será distribuído para todos os espaços exibidores cadastrados e espalhados por todo Brasil.

Não haverá premiação, patrocínio ou pagamento para os vídeos produzidos ou selecionados. O objetivo da 
mostra nacional do Tela Verde é divulgar e estimular atividades de educação ambiental, participação e
mobilização social por meio da produção independente audiovisual, e atender a demanda de espaços educadores 
por materiais pedagógicos multimídias.

COMO PARTICIPAR

Os interessados devem entrar na página do Circuito Tela Verde e preencher as fichas de cadastro e dados dos filmes. 
Também deverão assinar um Termo de Cessão de Direitos. Esse termo deve ser enviado, juntamente com o vídeo 
em formato DVD (extensão .VOB), ao Departamento de Educação Ambiental do MMA (Esplanada dos Ministérios, 
Bloco B, 9º andar, sala 953, CEP: 70.068-901, Brasília-DF). Não serão selecionados vídeos que já participaram 
de outras edições. Serão escolhidos, no máximo, dois vídeos por instituição, exceto curtas.

Os critérios de classificação dos filmes incluem:

clareza nas informações sobre o vídeo,
impacto do filme,
abordagem crítica,
qualidade de áudio e vídeo,
potencial do vídeo para ser aproveitado em processos de educação ambiental,
duração de até 30 minutos,
produzido nos últimos dois anos e
apresentar legenda ou outros recursos que contribuam para a inclusão de públicos específicos.

SAIBA MAIS

O Circuito Tela Verde procura atender demandas de inúmeras instituições que buscam, no Ministério do Meio Ambiente, 
materiais que subsidiem suas ações de Educação Ambiental.

É uma iniciativa do Departamento de Educação Ambiental (DEA), da Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania 
Ambiental (SAIC) do Ministério do Meio Ambiente (MMA), realizada em parceria com o Ministério da Cultura.
Clique e envie seu vídeo para participar do Circuito Tela Verde, seguindo as instruções na página do MMA.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA) – Telefone: 61.2028 1227

12ª FIKE Festival Internacional de Curtas Metragens


fikeA 12ª edição do FIKE (Festival Internacional de Curtas Metragens) vai decorrer entre 21 e 25 de Outubro, simultaneamente nas cidades de Évora e Beja – anunciou o director do festival, João Paulo Macedo, nesta segunda-feira, 8 de Setembro.

O FIKE 2014 contará entre outras participações, com Patrícia Casey. A produtora do primeiro filme dos Monty Python, “And Now for Something Completely Different”, de 1971, fará durante o certame, uma Master Class sobre produção cinematográfica.

Este ano, inscreveram-se para a pré-selecção no festival, 1004 filmes, originários de 44 países, sendo a Ficção a categoria mais concorrida, com 533 curtas-metragens. A animação com 179, documentário 265 e 27 filmes de outras categorias. Dos filmes inscritos 136 são primeiras obras de jovens realizadores.

O Prémio D. Quixote, um dos galardões a atribuir novamente, será nomeado por um júri da Federação Internacional de Cine Clubes, cuja rede de festivais parceiros o FIKE integra desde 2003.

FIKE1O FIKE 2014 é promovido, como habitualmente, pela Sociedade de Instrução e Recreio Joaquim António de Aguiar, pelo Cine Clube da Universidade de Évora em parceria com a Estação Imagem e Associação cultural bejense Lêndeas d’Encantar.

Esta 12ª edição tem o apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) e da Direção Regional de Cultura do Alentejo / Governo de Portugal, Município de Évora, bem como da Universidade de Évora (UE), que desde a primeira hora vem emprestando o seu valioso contributo.

O FIKE – Festival Internacional de Curtas-metragens, integra-se no projecto IMAGINÁRIOS AO SUL, que engloba o Festival de Teatro de Amadores de Évora, o Festival Raízes do Som e o Festival Internacional de Teatro do Alentejo. Organizados pelo Cineclube de Évora, Sociedade de Instrução e Recreio Joaquim António de Aguiar, a associação cultural bejense Lêndias d’Encantar e a Associação Lua Aos Quadradinhos. Um projecto pluridisciplinar, com atuação nos centros históricos de Évora Beja, que visa aliar novas vivências do património através de actividades culturais, formação de públicos, capacitação e envolvimento de outros agentes com a intensificação de hábitos e prática de consumos culturais. Trata-se de uma iniciativa QREN, apoiada no âmbito do INALENTEJO, cujo investimento ascendeu a 216.415,58 Euros, com um cofinanciamento de 151.490,91 Euros.

Évora, 8 de Setembro de 2014

Assessoria de Imprensa

press@fikeoneline.net

Filmambiente – Festival Internacional do Audiovisual Ambiental


destaque-filmambienteCom 62 filmes brasileiros e estrangeiros na programação, todos com exibição gratuita, começa na próxima quinta-feira (4), no Rio de Janeiro, a quarta edição do Filmambiente – Festival Internacional do Audiovisual Ambiental. Este ano o evento terá a presença, entre os convidados, de cineastas estrangeiros e diretores de outros festivais internacionais sobre o tema, e pela primeira vez irá às zonas norte e oeste da cidade com exibições de filmes nas Naves do Conhecimento, da prefeitura do Rio.

Os filmes da mostra, que vai até o próximo dia 10, foram selecionados entre produções recentes apresentadas em importantes festivais mundiais, como os de Cannes e Berlim, e também entre os mais de 400 inscritos. O Filmambiente tem uma mostra competitiva, de longas e de curtas-metragens, e cinco mostras paralelas.

Filmambiente – Festival Internacional do Audiovisual AmbientalO tema central desta edição, Porque o Futuro Chegou, está expresso em filmes que contam a história de pessoas que lutam para mudar as expectativas e criar um futuro melhor para o planeta. É o caso de Virunga, produção britânica dirigida por Orlando von Einsiedel, que abre o festival às 21h do dia 4, no Espaço Itaú de Cinema, em Botafogo, zona sul do Rio.

O documentário conta a história de pequena equipe de guardas florestais que protege o Parque Nacional de Virunga, no Congo, África, um dos lugares mais ricos em biodiversidade no mundo, que abriga os últimos gorilas da montanha. Além de defender o parque – patrimônio mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) -, a equipe enfrenta as ameaças de um grupo rebelde do país africano.

“Já é tempo de resolver os problemas ambientais, de mostrar as soluções para eles”, enfatiza Suzana Amado, diretora e idealizadora do Filmambiente. Os filmes desta edição mostram o que as pessoas estão fazendo para resolver as questões”. Atitudes políticas em prol do meio ambiente e da sustentabilidade também estão presentes nos outros sete documentários de longa-metragem da mostra competitiva, entre eles o brasileiro Naquela Época e Hoje, de Luiz Adelmo Manzano, que aborda a preocupante situação da saúde das pessoas, em plena era da informação, apesar da evolução científica e tecnológica.

Seis diretores estrangeiros debaterão seus filmes com o público após as sessões. Além dos oito longas, 25 curtas estão na competição, exibidos em sessões também no Espaço Itaú de Cinema. São documentários, filmes de ficção e de animação, de 20 países tão diversos quanto as temáticas abordadas.

Entre as mostras paralelas, a Cine’Eco 20 Anos, que será apresentada no Instituto Moreira Salles (IMS), homenageia as duas décadas do festival de cinema ambiental na cidade de Seia, em Portugal. O diretor da Cine’Eco, Mario Branquinho, é um dos convidados do Filmambiente e participa no dia 9, às 18h30, no Oi Futuro Ipanema, do painel Meio Ambiente: Evolução Temática e de Abordagem nos Últimos 20 Anos. Com mediação do jornalista Agostinho Vieira, o painel terá como debatedores o economista e ecologista Sergio Besserman e a jornalista e cineasta Paula Saldanha.

Filmambiente – Festival Internacional do Audiovisual AmbientalOutra discussão terá lugar no sábado (6), às 16h, no Museu do Meio Ambiente, no Jardim Botânico, quando será exibido, fora da mostra competitiva, o filme brasileiro O Veneno Está na Mesa 2, de Silvio Tendler. O novo documentário do cineasta, que participará de debate após a exibição, dá continuidade à reflexão sobre o perigo que o uso de agrotóxicos representa para a saúde, mostrada no primeiro filme dele sobre o tema, lançado em 2011.

O Veneno Está na Mesa 2 também será exibido na Nave do Conhecimento de Madureira, zona norte do Rio, uma das quatro – as outras ficam na Penha, no Irajá e na Vila Aliança – que terão sessões do festival, voltadas para alunos das escolas públicas e para os moradores desses bairros. Para as exibições nas Naves do Conhecimento, os organizadores do Filmambiente programaram documentários brasileiros que tratam de qualidade de vida e de alimentação.

“A proposta é expandir o festival e sair do circuito zona sul. Principalmente com o propósito de atrair crianças e alunos da rede de ensino, de trabalhar na formação de plateias interessadas no cinema ambiental”, defende Suzana Amado, que aposta na parceria com a prefeitura carioca para a ampliação dos espaços de exibição do festival.

Os filmes vencedores da mostra competitiva serão exibidos no dia 11, a partir das 18h30, no Oi Futuro Ipanema, espaço que também participa pela primeira vez do festival. A programação completa está disponível no site http://www.filmambiente.com.

Paulo Virgílio – Repórter da Agência Brasil
Edição: Stênio Ribeiro

Mostra de Cinema Mudo Latino Americano


Mostra de Cinema Mudo Latino AmericanoDo dia 24 ao dia 30 de Julho durante o Festival de cinema Latino Americano,

Mostra, oficinas, palestras, e filmes mudos latino-americanos sonorizados ao vivo.

Confira a programação:

Dia 24 de Julho:
16h- Oficina Música papa Cinema Mudo com José Maria Serralde
20h-El hussar de la muerte- Pedro Sienna (Chile,1925)
Trilha sonora ao vivo: Allen Alencar, Daniel Brita, Ivan Gomes e Pablo Mendoza

Dia 25
16h- Oficina Música para Cinema Mudo com José Maria Serralde
20h-La Virgem de La Calidad- Ramón Peón (Cuba,1930)
Sonoplasta: Jorge Peña

Dia 26
10h-Oficina Música para cinema mudo com José Maria Serralde
16h-Conclusão da oficina Música para Cinema Mudo
19h- Da ditadura de Huerta a rendição de Pancho Villa. Apresentação de filmes recuperados com o prof. Aurélio de los Reyes e acompanhamento de José Maria Serralde.
21h-Yo perdí mi corazón en Lima
Trilha sonora ao vivo: Araticum

Dia 27
18h-Lançamento do livro A Música no Cinema Silencioso no Brasil, de Carlos Eduardo Pereira
20h-El Automóvel Gris- Enrique Rosas( México,1919)

Dia 28
16h-Oficina Como criar um Cineclube, com prof. Frank Ferreira.
20h- La Borrachera del Tango- Edmo Cominetti (Argentina,1928)
Trilha sonora ao vivo: Thadeu Romano e Pablo Mendoza

Dia 29
16h-Oficina Como criar um Cineclube, com prof. Frank Ferreira
20h-Lábios Sem Beijos- Humberto Mauro (Brasil,1930)
Acompanhamento Musical: Joel Lourenço
21h-Fragmentos da Vida- José Medina ( Brasil, 1929)
Trilha sonora ao vivo: Carlos Eduardo Pereira

Dia 30 de Junho
16h-Oficina Como criar um Cineclube, com prof. Frank Ferreira
20h-Bajo el cielo Antioqueño- Arturo Acevedo (Colômbia, 1925)
Trilha sonora ao vivo: Pablo Mendoza

I Festival Luz de Cinema Latino-Americano


Logo Festival Luz de Cinema_mBuscando servir como vitrine para realizadores de audiovisuais, bem como incentivar aqueles que têm vontade de produzir, a Escola de Comunicação e Artes da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em parceria com a Associação de Vídeo e Cinema do Paraná (AVECPR), realizará em Curitiba o I Festival Luz de Cinema Latino-Americano. O evento, que acontecerá de 20 a 24 de outubro, tem apoio da FTD Digital Arena (local do evento, no campus da PUCPR) e da Red Inav, rede ibero-americana de narrativas audiovisuais.

Procurado pela Avecpr para realizar um evento em parceria, o curso de Jornalismo da PUCPR, tem tradição na produção de audiovisual. “Unimos aquilo que fazemos bem à possibilidade de realizarmos um grande evento com mostras paralelas, competição e inclusão de materiais produzidos para o formato full dome”, explica o coordenador do curso de Jornalismo da PUCPR, Julius Nunes.

O festival será composto por quatro mostras de filmes em curtas-metragem, duas delas competitivas: Mostra Livre – aberta a filmes de realizadores,  atuantes no mercado ou não, cuja produção tenha sido realizada fora do âmbito acadêmico, em qualquer país da América Latina; Mostra Universitária – aberta para filmes realizados por alunos de cursos universitários, de qualquer país da América Latina.
As mostras não competitivas serão: Mostra AVEC – aberta apenas a realizadores paranaenses, convidados pela entidade do audiovisual no estado; II VideMusi – também com artistas convidados e composta por audiovisuais que unem música e tecnologia, para exibição no formato full dome.  Conheça o site do festival em http://www.festivalluzdecinema.com.br

Além disso, o festival contará com eventos paralelos, como exposições, oficinas, palestras e debates, que prometem adicionar positivamente à área audiovisual do Paraná. “Temos uma grande produção e precisamos criar meios de mostrar o que é produzido aqui, de divulgar os nossos talentos, formar público e novos produtores”, comenta Nunes.

Tecnologia digital

O diferencial do evento é a sua realização na FTD Digital Arena, primeiro espaço digital com tecnologia 4D Full Dome da América Latina. O local ocupa uma área de 980 metros quadrados, possui uma cúpula de 14 metros de diâmetro e sete metros de altura. A estrutura é formada por uma tela em formato semiesférico, que possibilita a projeção em 180 e 360 graus, permitindo que o espectador tenha uma visão completa e imersiva do filme.

“Alguns filmes estão sendo totalmente pensados para o espaço, utilizando a cúpula do local, como é o caso do II VideMusi; outros serão convertidos para que possam ser assistidos no formato tradicional, wide screen”, explica o coordenador. A mostra livre, por exemplo, será em wide screen. A mostra universitária, por sua vez, está programada para o hall do fulldome.

A expectativa do evento é atrair o público curitibano e poder mostrar filmes representantes de diversos lugares da América Latina. “Será muito bacana recebermos cineastas, produtores de audiovisual e ter estudantes de diferentes países circulando pelo evento. Queremos que o Festival Luz de Cinema Latino-Americano entre no calendário oficial dos eventos de cinema do Brasil”, finaliza Nunes.

contato: festival.luzdecinema@hotmail.com

29º Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata


29º Festival Internacional de Cinema de Mar del PlataAs inscrições, gratuitas, vão até o dia 31 de julho para curtas-metragens, e 29 de agosto para longas-metragens. O evento acontece em novembro, na Argentina

Estão abertas as inscrições para o 29º Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata, na Argentina, que acontece entre os dias 22 e 30 de novembro. O evento propõe a exibição de longas-metragens de todo o mundo, acompanhados de seus representantes, para promover encontros e, assim, contribuir com o desenvolvimento da indústria cinematográfica latino-americana.

As inscrições, gratuitas, vão até o dia 31 de julho, para curtas-metragens, e 29 de agosto, para longas. Os filmes inscritos devem ter sido finalizados após novembro de 2013. Para submeter uma produção à seleção do festival, é necessário preencher a ficha disponível no site do festival e encaminhar um DVD para o endereço indicado no regulamento.

O Festival de Mar del Plata é competitivo. Os filmes brasileiros selecionados para a Seção Oficial podem concorrer na Competição Internacional de Longas-metragens, desde que não tenham sido publicamente exibidos na Argentina; na Competição Latino-americana de longas-metragens, desde que além de comercialmente inéditos na Argentina, também não tenham sido exibidas em outros festivais; na Competição Latino-americana de Curtas-metragens, para filmes com até 15 minutos de duração; além de seções paralelas sem caráter competitivo e retrospectivas.

Filmes brasileiros selecionados poderão solicitar apoio à ANCINE por meio do Programa de Apoio à Participação de Filmes Brasileiros em Festivais Internacionais e de Projetos de Obras Audiovisuais Brasileiras em Laboratórios e Workshops Internacionais. O contempla produções nacionais oficialmente convidadas a participar 80 festivais internacionais e  projetos audiovisuais convidados para 27 laboratórios ou workshops ao redor do mundo. O apoio para o Festival de Cinema de Mar del Plata consiste na confecção de cópia legendada para o festival, no envio da cópia e em um subsídio financeiro para promoção do filme. Para mais informações, acesse a página do Programa de Apoio.

O festival é organizado pelo INCAA – Instituto Nacional de Cinema e Artes Audiovisuais da Argentina,  credenciado pela FIAPF – Federação Internacional das Associações dos Produtores de Filmes. Para mais informações sobre o evento, acesse o site oficial do 29º Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata.

 

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba 2014


Festival Internacional de Curitiba 2014 - Olhar de Cinema

Festival Internacional de Curitiba 2014 – Olhar de Cinema

A partir do dia 28 de maio ocorre o terceiro Olhar de Cinemafestival internacional de Curitibarealizado pela produtora de cinema Grafo Audiovisual- com patrocínio da VOLVO e do BNDES e apoio cultural do SESI-PR.

Além da exibição de filmes de diversos gêneros, estilos e nacionalidades, o evento conta com a realização de oficinas gratuitas paralelas ao festival. “O Som no Cinema”, “Introdução ao Universo da Direção de Arte” e “Preparação de Elenco” são as oficinas deste ano, e as inscrições podem ser feitas pelo site até o dia 2 de maio: olhardecinema.com.br/oficinas.

Este ano o Festival bateu o recorde de inscrições, com 2.525 filmes vindos de 97 países diferentes. Estes filmes devem ser exibidos no Shopping Crystal (Espaço Itaú de Cinema) e na Cinemateca de Curitiba, até o dia 5 de junho. Os ingressos podem ser adquiridos nestes mesmos locais a partir do dia 22 de maio, sendo R$5,00 a entrada inteira e R$2,50 a meia.

A programação do Olhar de Cinema 2014 estará disponível a partir do dia 15 de maio e poderá ser conferida no site oficial do evento: olhardecinema.com.br


#ObservaCine Perfil IIIGostou? Curta a página do Olhar De Cinema 2014 no Facebook e fique atento às novidades!

Quer ficar ainda mais perto deste grande festival de Cinema? A equipe organizadora do evento está procurando por voluntários! Saiba mais: Voluntários no Olhar de Cinema.

Dedicarán a Gabo el 36 Festival Internacional de Cine de La Habana


Festival de Havana GaboEl 36 Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano de La Habana estará dedicado este año al recién fallecido escritor colombiano Gabriel García Márquez, quien fuera un apasionado del séptimo arte, informaron hoy los organizadores del certamen.

El director de la Casa del Festival, Iván Giroud, indicó que la decisión fue comunicada previamente a la viuda del novelista, Mercedes Barcha, y a sus hijos Rodrigo y Gonzalo García.

Giroud recordó a García Márquez y al intelectual cubano Alfredo Guevara, fallecido en 2013, y dijo que ambos “están muy unidos en la vida y en la historia del Nuevo Cine Latinoamericano, ambos fueron quizás sus dos más sólidas columnas”.

Dedicarán-a-García-Márquez-el-36-Festival-Internacional-de-Cine-de-La-HabanaDurante la presentación del libro “Homenaje a Alfredo Guevara”, el directivo del Festival consideró imposible homenajear a una de las figuras promotoras del cine latinoamericano sin resaltar “el papel descomunal” que García Márquez jugó en esa empresa fundacional, “en pos de un cine si no mejor, al menos diferente”.

García Márquez era un gran amante del cine, en el que participó como guionista de cintas como “El gallo de oro” (1964) y “Tiempo de morir”, entre otras, y fue también asistente de dirección y hasta actor, con un pequeño papel en la película “En este pueblo no hay ladrones”, dirigida por Alberto Isaac, en 1965.

El insigne escritor fue jurado del Festival de Cannes en 1982 y en 1985 creó la Fundación del Nuevo Cine Latinoamericano, con sede en La Habana, que presidió hasta su muerte.

García Márquez dijo en su día que la Fundación tendría la misión fundamental de “unificar” el nuevo cine latinoamericano y su “fomento”, pero también fue la entidad patrocinadora de la Escuela Internacional de Cine y Televisión (EICTV), instalada en 1986 en la localidad habanera de San Antonio de los Baños.

En ese proyecto académico, el autor de “Cien años de soledad”, su novela cumbre, mantuvo hasta el año 2009 un espacio en el que por dos semanas era el profesor de estudiantes con los que elaboraba la estructura dramática, discutía la idea, trabajaba la sinopsis, el argumento y los personajes de futuros guiones.

37ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo


header_mostra_37De 18 a 31 de outubro, acontece em São Paulo a tradicional Mostra Internacional de Cinema. Durante duas semanas, serão exibidos cerca de 350 títulos de variados países e diversas cinematografias em mais de 20 espaços, entre cinemas, espaços culturais e museus espalhados pela capital paulista. A seleção deste ano faz um apanhado do que o cinema contemporâneo mundial está produzindo, além das principais tendências, temáticas, narrativas e estéticas produzidas em todo o mundo.

A 37ª Mostra Internacional de Cinema é composta por cinco seções: Competição Novos Diretores – que exibe títulos de diretores que tenham realizado até dois longas (os mais bem votados pelo público serão vistos pelo Júri Internacional, que escolhe posteriormente os que vão receber o Troféu Bandeira Paulista); Perspectiva Internacional – que apresenta um panorama do recente cinema mundial;Retrospectivas – seção com obras de diretores importantes ou mesmo desconhecidos; Apresentações Especiais – exibição de clássicos ou de filmes de diretores que estão sendo homenageados pela Mostra; Mostra Brasil – títulos brasileiros inéditos em São Paulo.

Maiores informações e a programação completa você encontra AQUI!

1ª Mostra de cinema de Gostoso


primeira-mostra-de-cinema-de-gostosoUma realização da Heco Produções e do CDHEC – Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania, a 1ª Mostra de cinema de Gostoso pretende agitar culturalmente a cidade de São Miguel do Gostoso (RN), instalando uma tela de cinema ao ar livre na Praia do Maceió. A população terá a chance de ver os mais recentes lançamentos cinematográficos brasileiros. A primeira edição será realizada de 22 a 26 de novembro de 2013.

Também serão feitas sessões em ambientes fechados, com menor capacidade de público, que incluirão debates com personalidades, diretores e atores dos filmes, entre outros. A população também escolherá o melhor longa-metragem e o melhor curta-metragem da 1ª Mostra de cinema de Gostoso, que receberá o Troféu Luis da Câmara Cascudo, uma homenagem ao renomado folclorista e escritor potiguar.

Paralelamente, está sendo realizado em parceria com o CINEDUC – Cinema e Educação e o IFRN – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, uma série de cursos de formação técnica e audiovisual, abordando linguagem, cultura, e prática cinematográfica, oferecida a 40 jovens de São Miguel do Gostoso e distritos arredores ao longo de três anos. Os cursos têm como finalidade a formação cultural dos jovens e sua capacitação profissional para gerir eventos, e suprir a crescente demanda do mercado audiovisual no Brasil. Os jovens aplicarão o conhecimento adquirido nos cursos na produção da Mostra de cinema de Gostoso.

Clique aqui para acessar a ficha de inscrição. 

Sítio oficial: http://mostradecinemadegostoso.com.br/noticias.php

8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos


livro-mostra-cinema-e-direitos-humanos-na-america-do-sul_MLB-O-131812301_9105A Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul é um evento que celebra há oito edições o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 10 de dezembro de 1948.

A Mostra dedica-se a apresentar filmes sul-americanos que discutem temas atuais de Direitos Humanos no nosso continente.

Realizado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com produção da Universidade Federal Fluminense / Ministério da Cultura e patrocínio da Petrobras e do BNDES, o evento acontecerá nas 26 capitais e no Distrito Federal. Pelo primeiro ano, a mostra será realizada também em até 1.000 espaços culturais pelo Brasil, assumindo um caráter descentralizador e democrático.

A programação compreende uma seleção de filmes contemporâneos que desde 2008 são também selecionados por meio de chamada pública, além de uma retrospectiva histórica, homenagens e programas especiais. A Mostra promoveu em edições anteriores homenagens ao projeto brasileiro Vídeo nas Aldeias, aos argentinos Cine Ojo (produtora) e Ricardo Darín (ator), ao documentarista Eduardo Coutinho, e suas recentes retrospectivas históricas tiveram por tema “infância e juventude”, “iguais na diferença” e “direito à memória e à verdade”.

Convocatória

A 8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, que irá ocorrer de 26 de novembro a 20 de dezembro, abre chamada para receber trabalhos audiovisuais. Os filmes, selecionados por prospecção e curadoria, serão exibidos em todas as capitais do país e no Distrito Federal. Esses concorrerão ao Prêmio Aquisição, da TV BRASIL, a partir da votação do público, nos valores de R$30.000,00 para o melhor longa-metragem, R$14.000,00 para o melhor média-metragem e R$8.000,00 para o melhor curta-metragem.

Para além da exibição nas capitais, em 2013 serão distribuídos até 1000 kits para locais de exibição habilitados em chamada pública própria (tais como cineclubes, pontos de cultura, universidades, etc), realizada para permitir uma maior disseminação do conhecimento em direitos humanos em seu formato cinematográfico. Para compor o kit, serão selecionados dois longa-metragens e um curta ou um média-metragem, que receberão o Premio Diferença, da TV BRASIL, como reconhecimento por sua importância para a formação cultural do público em Direitos Humanos. Os premiados receberão R$10.000,00 e R$5.000,00, respectivamente.

O evento será voltado à exibição de obras realizadas em países da América do Sul finalizadas a partir de 2011 cujo conteúdo contemple aspectos relacionados aos Direitos Humanos, tais como:

  • Direitos das pessoas com deficiência;
  • População LGBT;
  • Memória e verdade; crianças e adolescentes;
  • Pessoas idosas;
  • População negra;
  • População em situação de rua;
  • Mulheres;
  • Direitos Humanos, segurança pública e não-violência;
  • Proteção aos defensores de Direitos Humanos;
  • Prevenção e combate à tortura
  • Democracia e Direitos Humanos
  • Direitos do trabalhador
  • Juventude
  • Direito humano à moradia
  • Indígenas, quilombolas e povos de comunidades tradicionais.

Não há restrição quanto à duração, gênero ou suporte de captação/finalização. As exibições serão em suporte digital.

No período de 22 de agosto a 06 de setembro de 2013, A ficha de inscrição deve ser baixada no site http://culturadigital.br/cinedireitoshumanos/, preenchida, assinada e enviada com 1 foto por e-mail para: contatocinedireitoshumanos@vm.uff.br. Além disso, O DVD deverá ser enviado também, até 6 de setembro de 2013, com uma via da ficha impressa para:

8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul
Universidade Federal Fluminense (IACS/KUMÃ)
Rua Lara Vilela, 126, São Domingos, Niterói
CEP 24210-590
Mais informações podem ser obtidas pelos telefones:
+55 21 26299763 (Universidade Federal Fluminense / IACS / Kumã)
+55 61 2025.3732 /3950 (Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República)

Portugal no Ceará


A 23ª edição do Cine Ceará muda de foco e visita a nova geração do cinema português em sua programação

A 23ª edição do Cine Ceará muda de foco e visita a nova geração do cinema português em sua programação
O Ceará é o ponto no território continental brasileiro mais próximo ao Velho Mundo. Nada mais justo do que ser, graças à localização geográfica, a ligação entre europeus e americanos. No que se refere a audiovisual, o solo alencarino já é anfitrião tradicional do Cine Ceará, o Festival Ibero-Americano de Cinema. Chegando à sua 23ª edição, de 7 a 14 de setembro, o festival apresenta novidades conceituais e espaciais. Deixando de lado as temáticas mais abrangentes que guiaram a programação dos anos anteriores do evento, a partir de 2013 o Cine Ceará se volta para as homenagens ao cinema contemporâneo de um país. “A gente resolveu dar uma guinada no foco do evento”, explica Wolney Oliveira, diretor do festival. “A ideia é que o Cine Ceará pegue esse sangue jovem que está aí em vários lugares do mundo e concentre homenageando a cinematografia contemporânea desse país a cada ano”.

Cine CearáA mudança, de acordo com Oliveira, também se deve à popularização gradual do fazer cinema, inclusive no Ceará, graças à evolução tecnológica e à presença de três cursos de realização audiovisual no Estado – dois dos quais são graduações.

O tributo que dá início a essa sequência é feito a Portugal, exibindo e discutindo filmes produzidos nos últimos 15 anos. Segundo o diretor, a escolha do país se justifica também pelo fato da cinematografia realizada em terras lusas ainda ser de difícil acesso aos cinemas comerciais brasileiros. A homenagem ao país ibérico se estende à atriz, cantora e cineasta portuguesa Maria de Medeiros, responsável pelo show de abertura do, cujos filmes serão exibidos em uma mostra especial. O cinema luso será tema do debate entre realizadores e público portugueses e brasileiros durante o Seminário Diálogos Visuais, na Casa Amarela Eusélio Oliveira.

Cine Ceará1Para Wolney, a maior vitória do festival é chegar à 23ª edição ininterrupta, principalmente por ser um evento em expansão e com dificuldades para financiamento. De acordo com ele, o orçamento de realização está na faixa de R$ 1,7 milhão.

Outra mudança é a sede do evento, que acontece pela primeira vez no Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura. As duas salas de cinema do equipamento serão reinauguradas em 3 de setembro; a programação do festival começa a ocupá-las a partir do dia 7 e segue até 14 de setembro. De acordo com o presidente-diretor do Dragão do Mar, Paulo Linhares, a realização marca o retorno de uma parceria e faz parte do projeto de trazer os grandes eventos do Estado para o CCDM.

Oficinas, seminários e mostras alternativas e sociais serão realizados simultaneamente na Casa Amarela Eusélio Oliveira da Universidade Federal do Ceará (UFC), no Teatro Celina Queiroz da Universidade de Fortaleza (Unifor), na Caixa Cultural, na Vila das Artes e no Mercado dos Pinhões. Todas as atividades são gratuitas.

Mostras competitivas

Cine Ceará2Oito produções foram selecionadas para concorrer ao Troféu Mucuripe, durante a Mostra Competitiva Ibero-Americana de Longa-Metragem. Destas, sete são completamente inéditas no Brasil. Os indicados são os brasileiros “Se Deus Vier Que Venha Armado”, de Luis Dantas, “Olho Nu”, de Joel Pizzini, e “Solidões”, de Oswaldo Montenegro; o espanhol “Emak Bakia”, de Oskar Alegria; o uruguaio-português “Rincón de Darwin”, de Diego Fernández Pujol; o mexicano “El Paciente Interno”, de Alejandro Solar Luna; o cubano “La Película de Ana”, de Daniel Diaz Torres e o argentino “Mercedes Sosa, la voz de Latinoamérica”, de Rodrigo H. Vila. As categorias da disputa são melhor filme, direção, fotografia, edição, roteiro, som, trilha sonora original, direção de arte, ator, atriz e prêmio da crítica. O prêmio ao vencedor é de dez mil dólares.

A Mostra Competitiva Brasileira de Curtas-Metragens, por outro lado, premiará o vencedor com R$ 15 mil, através de financiamento do Canal Brasil. As categorias analisadas serão melhor filme, direção, roteiro, produção cearense e prêmio da crítica. Doze filmes concorrem: os pernambucanos “Au Revoir”, de Milena Times, e “Quinha”, de Caroline Oliveira; os cearenses “Mauro em Caiena”, de Leonardo Mouramateus e “O Melhor Amigo”, de Allan Deberton; o baiano “Jessy”, de Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge; os paulistas “O Pai do Gol”, de Luiz Ferraz, “O Pacote”, de Rafael Aidar, e “Pintas”, de Marcus Vinicius Vasconcelos; o carioca “Em Cartaz”, de Fernanda Teixeira; o gaúcho “ED”, de Gabriel Garcia; o alagoano “O Que Lembro, Tenho”, de Rafael Barbosa, e o mineiro “Sanã”, de Marcos Pimentel. Para Wolney, a presença forte dos candidatos nordestinos reflete o crescimento da produção da região. Segundo ele, 40% dos longas produzidos no Brasil são de PE, CE e BA. A Mostra Olhar do Ceará, como o nome explicita, é composta apenas por produções locais. Ao todo, 23 curtas, dentre documentários e ficções, foram selecionados para competir pelo prêmio de R$ 5 mil.

Serviço

23º Cine Ceará.

De 7 a 14 de setembro, no Centro Cultural Dragão do Mar.
Fortaleza, CE.

Programação completa está no site http://www.cineceara.com/

Saiba +

Uma trajetória grandiosa

EusélioEm 1991 o cineasta Eusélio Oliveira e o diretor, produtor e roteirista Francis Vale lançaram o Festival Vídeo Mostra Fortaleza, realizado na Casa Amarela Eusélio Oliveira, equipamento vinculado à UFC. À época, talvez não imaginassem que o modesto evento transformar-se-ia em um dos maiores do tipo no País, o Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema, realizado anualmente.

Rebatizado Cine Ceará em 1995, passou a ser fomentado pelo governo estadual, via Secretaria da Cultura. Da Casa Amarela, o evento migrou para o Cine São Luiz, no Centro, cujo prédio é tombado.

Ao longo de sua trajetória, o Cine Ceará passou a ser vitrine da produção cearense fomentada por então novos espaços de formação (como a Casa Amarela e o Instituto Dragão do Mar), tornando-se, ele mesmo, peça fundamental da equação que alavancou a cinematografia local. Em 2006, seguindo uma tendência natural, adotou caráter internacional, abrindo espaço em sua mostra competitiva para filmes da América Latina, Espanha e Portugal.

Com o fechamento e o futuro incerto do Cine São Luiz, em 2010 (mesmo após comprado pelo Governo do Estado), o festival transferiu-se para o Theatro José de Alencar, que sediou duas edições.

Neste ano, o Cine Ceará ganha novamente outra casa, as salas de cinema do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, cuja reforma deve ser finalizada neste mês. Em edições anteriores, o equipamento já recebeu parte da programação. Além da mostra de longas, o evento inclui mostra competitiva de curtas nacionais e um conjunto de mostras paralelas, além de encontros de realizadores, palestras, seminários e lançamentos.

O acesso ao Cine Ceará é gratuito, condição fundamental para que funcione também como espaço de formação de plateia. O credenciamento é feito em troca de alimentos.