os 100 anos do cinema baiano


os cinéfilos da Bahia que tanto se queixam da falta de ações de preservação com a cinematografia baiana terão agora ao seu alcance clássicos da produção local. Como parte de um programa de preservação do cinema da Bahia, foi lançado um box de DVDs em comemoração aos 100 anos de cinema baiano. Intitulado Bahia, 100 Anos de Cinema, o conjunto reúne 12 DVDs contendo 30 filmes que fazem parte de um projeto inovador de resgate e difusão da memória audiovisual baiana.

como os filmes que fazem parte da caixa de DVDs não estão à venda, para assistí-los será necessário ir a um dos espaços de exibição da Diretoria de Artes Visuais e Multimeios (Dimas) – salas Walter da Silveira e Alexandre Robatto – ou frequentar o projeto Quartas Baianas, onde serão exibidos em incentivo à exibição da nossa memória audiovisual.

a iniciativa, que partiu do governo federal (Ministério da Cultura) em parceria com a Secretaria de Cultura da Bahia (Secult), através da Dimas, também vai distribuir o box para bibliotecas, cineclubes e pontos de cultura.

para o cinema baiano, que padecia com o abandono de obras de sua filmografia inicial, a iniciativa veio um pouco tarde, mas, como diria o velho ditado, antes tarde do que nunca.

a nova geração de espectadores e cineastas que tinha dificuldade para ter acesso a obras seminais de grandes nomes do cinema baiano, como Glauber Rocha (também o mais ilustre nome do cinema nacional) e Roberto Pires (autor de Redenção, primeiro longa baiano) poderá se aventurar num mosaico representativo de diversas fases do cinema baiano.

filmes como O Leão de Sete Cabeças, de Glauber, e A Grande Feira, de Roberto Pires, além de obras de precursores da sétima arte baiana como Alexandre Robatto Filho e películas recentes como Eu me Lembro, de Edgar Navarro estarão disponíveis no formato digital.

Curtas também foram lembrados, como o antigo Vadiação, de Alexandre Robatto Filho, além de documentários e trabalhos em vídeo da chamada nova onda do cinema baiano, para o deleite dos amantes da sétima arte.

instituições de pesquisa e difusão podem entrar em contato com a Dimas para receber o box.

serviço
dimas
e-mail: programacaodimas@gmail.com
71 – 3116-8124 (Núcleo de Difusão/Adolfo Gomes)
71 – 3116-8119 e 3116-8109 (Núcleo de Memória/Simone Lopes).

site: http://www.dimas.ba.gov.br

manifesto sobre o cine belas artes


No contexto da polêmica, manifestações e mobilizações provocadas pela notícia sobre uma concreta e ameaçadora possibilidade de fechamento do Cine Belas Artes e da existência de dezenas de outros cinemas de rua localizados na capital e em dezenas de municípios do interior do Estado de São Paulo, que devido as mesmas motivações e argumentações apresentadas pelos proprietários do imóvel ocupado pelo Belas Artes, estão hoje também ameaçados de se verem obrigados a encerrar suas atividades.

Considerando ainda, que dezenas de outros cinemas de rua paulistas e paulistanos, apesar de ainda não se encontrarem sujeitos a ameaças tão concretas e eminentes quanto as que afetam hoje o Cine Belas Artes, se mantém em funcionamento em condições de grande precariedade, quer do ponto de vista de sua infraestrutura física, quer do ponto de vista de sua defasagem tecnológica e que tais salas de exibição, caso não recebam apoios e investimentos, estão também predestinadas a deixar de funcionar num futuro próximo.

Considerando também, uma noticiada possibilidade de que o fechamento do Belas Artes acabe não se concretizando, graças a uma intervenção da Prefeitura Municipal de São Paulo, que visando garantir a continuidade de seu funcionamento, tornou pública sua disposição em determinar o tombamento do imóvel, as entidades e pessoas abaixo assinadas manifestam que:

1) Reconhecem a importância do Cine Belas Artes no contexto histórico, cultural e social relacionado ao setor de exibição cinematográfica comercial na cidade de São Paulo e que neste sentido, continuarão atentos, mobilizados e dispostos a apoiar um processo que resulte na garantia de continuidade do funcionamento do referido cinema;

2) Que neste contexto, apelam e, novamente, mais do que isso, conclamam publicamente os locadores e locatários do imóvel, a negociarem entre si e, preferencialmente, sem qualquer intervenção externa (em especial, de natureza estatal), um acordo que garanta a continuidade do funcionamento do Belas Artes e os interesses econômicos/financeiros de ambas as partes;

3) Informam ainda que, caso o desejado acordo entre os litigantes, não se concretize, continuarão mobilizados em defesa de medidas, inclusive de caráter governamental, que possibilitem a garantia de continuidade de funcionamento do Cine Belas Artes;

4) Que por outro lado, entendem, se posicionam e defendem uma proposta de que, caso seja necessária e inevitável uma intervenção estatal neste processo, que ao invés do propagado instrumento legal de tombamento do imóvel, seja realizada pela Prefeitura de São Paulo a desapropriação do referido imóvel, utilizando-se para tanto dos mesmo argumentos e fundamentos legais alicerçados na existência de um real interesse público de continuidade e manifestação do referido espaço cultural;

5) Que caso se estabeleça este novo contexto, defenderão a proposta de que o Cine Belas Artes passe a ser administrado, ou diretamente pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, ou através de convênio firmado pela referida Secretaria com entidades civis sem fins lucrativos representativas dos vários setores que participam da cadeia produtiva do audiovisual paulista, garantindo desta forma que os fundamentos motivadores de nossa luta e mobilização em defesa da continuidade de funcionamento do Cine Belas Artes, sejam integralmente contemplados e concretizados através de uma deseja ampliação das possibilidades de acesso público (e quem sabe, até mesmo gratuito) aos serviços e bens culturais oferecidos no referido espaço;

6) Que diante da surpreendente disposição apresentada pelos gestores da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo em rapidamente encontrar e tornar concretas soluções legais capazes de garantir a continuidade de funcionamento do Cine Belas Artes, as entidades e pessoas físicas que subscrevem este documento, solicitam e tornam pública seu entendimento e disposição em colaborar e lutar para que tal disposição e agilidade seja ampliada de modo a contemplar e garantir a continuidade de funcionamento de dezenas de outras salas de exibição localizadas na capital paulista atualmente também ameaçadas de fechamento.

7) Comunicam finalmente que também se colocam a disposição e lutarão para que todos os demais gestores de Prefeituras Municipais das cidades do interior paulista e da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, elaborem e implantem políticas públicas capazes de manter em funcionamento e modernizar as salas de exibição já existentes em todo o Estado de São Paulo, e que para além disso, promovam uma necessária e desejável ampliação dos espaços comerciais e não comerciais destinados exibição cinematográfica em nosso Estado.

Em defesa do Cine Belas Artes, de todos os cinemas de rua e de todos os espaços de exibição audiovisual  ainda em funcionamento no Estado de São Paulo!

Em defesa da democratização do acesso à cultura, aos bens culturais e à produção audiovisual paulista e brasileira!

Em defesa dos direitos do público e do povo do Estado de São Paulo!

São Paulo, 15 de janeiro de 2011.

++++++++++++++++++++++++++
Filmes são feitos para serem vistos!
Para também subscrever este manifesto enviei um e-mail com seus dados para:
observatorio.cineclubista@cineclubes.org.br

Subscrevem o Manifesto:

Entidades Internacionais:

  1. FICC – Federação Internacional de Cineclubes

Entidades Nacionais:

  1. APIJOR  – Associação Brasileira de Propriedade Intelectual dos Jornalistas
  2. CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros

Entidades Estaduais:

  1. FPC – Federação de Cineclubes do Estado de São Paulo
  2. FEPEC – Federação de Cineclubes de Pernambuco
Entidades Municipais:
  1. ACVV – Associação de Cineclubes de Vila Velha (Vila Velha, ES)
  2. Associação das Entidades Usuárias do Canal Comunitário/ TV Cidade Livre (Rio Claro, SP)
  3. Associação de Difusão Cultural de Atibaia (Atibaia, SP)
  4. Estação Cinema  –  Associção dos Profissionais de Cinema (Santa Maria, RS)
Cineclubes:
  1. CineOca (Porto Velho, RO)
  2. CineOlho (Niterói, RJ)
  3. Cine Aquiry (Rio Branco, AC)
  4. Cine Everest (Hortolândia, SP)
  5. Cine Gastrô (Fortaleza, CE)
  6. Cine Guará (Londrina, PR)
  7. Cine Imaginário (Salvafor, BA)
  8. Cine Molotov (Fortaleza, CE)
  9. Cineclube Abelin Nas Nuvens (Silveira Martins, RS)
  10. Cineclube Amoeda Digital (Recife, PE)
  11. Cineclube Central (Vila Velha, ES)
  12. Cineclube Independente (Caçador, SC)
  13. Cineclube Laguna (Laguna, SC)
  14. Cineclube Lanterninha Aurélio (Santa Maria, RS)
  15. Cineclube Natal (Natal, RN)
  16. Cineclube Nós No Morro (Vila Velha, ES)
  17. Cineclube Paraty (Paraty, RJ)
  18. Cineclube Participação (Vila Velha, ES)
  19. Cineclube Projeto Kalu (São Luiz, MA)
  20. Cineclube SMCV (Santa Maria, RS)
  21. CREC – Centro Rioclarense de Estudos Cinematográficos (Rio Claro, SP)
  22. Difusão Cineclube (Atibaia, SP)
  23. Rede [Aparelho]- (Belém, PA)

Festivais e Mostras:

  1. Cine Chinelo
  2. FAIA – Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual
  3. FESTIn – Festival do Cinema Itinerante da Língua Portuguesa
  4. Goiamun Audiovisual
  5. SMCV – Santa Maria Cinema e Vídeo
  6. MFL – Mostra do Filme Livre

Coletivos:

  1. Observatório Cineclubista Brasileiro

Pessoas Físicas:

  1. Alex Nunes Ferreira (Fedox) – cineclubista e produtor cultural
  2. Antonio Claudino de Jesus – médico e presidente da FICC
  3. Arthur Leandro de Moraes Maroja – professor universtário e cineclubista
  4. Beth Verdegay – artista plástica
  5. Bruno Nunes Cabús – biólogo e cinecelubista
  6. Carolline Vieira – produtora cultural e cineclubista
  7. Calebe Augusto Pimentel – curtametragista e produtor Cultural
  8. Daniela Teixeira – cineclubista
  9. Davy Alexandrisky – professor universitário e cineclubista
  10. Eber Novo – editor de cinema e televisão
  11. Gê Carvalho – cineclubista e presidente da FEPEC
  12. Gilvan Dockorn – professor universitário e cineclubista
  13. Gizely Cesconetto de Campos – pesquisadora e cineclubista
  14. Graziele Andrade Ferreira – cineclubista
  15. Guilherme Whitaker – curtametragista e produtor cultural
  16. Helen Maria Pzaros – gestora de projetos
  17. Isidoro Cruz Neto – professor universitário e cineclubista
  18. Jorge de Souza Conceição – professor universitário e cineclubista
  19. Lauro Monteiro – artista plástico e cineclubista
  20. Lourenço Favari – cineclubista
  21. Luis Alberto Cassol – cineasta e presidente do CNC
  22. Luis Cavalari – publicitário
  23. João Baptista Pimentel Neto – jornalista e produtor cultural
  24. Juliana Barros de Paula Machado – estudante e cineclubista
  25. Mariza Teixeira do Espirito Santo – cineclubista
  26. Nelson Marques – professor universitário e cineclubista
  27. Nikole Kubli – artista plática
  28. Paulo Cannabrava Filho – jornalista, presidente da Apijor
  29. Renata De Oliveira Ramos – professora e cineclubista
  30. Reno Luiz Caramori Filho – produtor cultural e cineclubista
  31. Saskia Sá – cineasta e mestre em educação
  32. Simone Norberto – jornalista e cineclubista
  33. Télcio Brezolin – cineclubista
  34. Valdecir Edson Marcos – produtor cultural e cineclubista

realização do 6 faia é adiada


6º FAIA
FESTIVAL DE ATIBAIA INTERNACIONAL DO AUDIOVISUAL
Atibaia – São Paulo – Brasil

NOTA OFICIAL DE ESCLARECIMENTO

Car@s amigos da cultura e do audiovisual

A Associação de Difusão Cultural de Atibaia / Difusão Cineclube e a Prefeitura da Estância Turística de Atibaia / Secretaria Municipal de Cultura e Eventos, entidades parceiras e organizadoras do FAIA – Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual comunicam aos realizadores audiovisuais, entidades parceiras, patrocinadores, imprensa, convidados e a população em geral, que em respeito as vítimas das enchentes que atingiram Atibaia, decidiram adiar temporariamente a realização do 6 FAIA – Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual – e que assim que possível estarão divulgando as novas datas de realização do Festival.

Esclarecem ainda que todas as atividades já programadas e todos os compromissos firmados com festivais, entidades nacionais e internacionais parceiros e patrocinadores estão mantidos e serão integralmente cumpridos.

Neste contexto, solicitam a compreensão de tod@s, apresentando desculpas por possíveis transtornos que venham a ocorrer relacionados a tal decisão.

Finalmente, conclamam a tod@s, em especial, aos residentes em Atibaia e região, para que participem do mutirão de solidariedade às vítimas das enchentes.

As famílias estão necessitando de: água, leite longa vida ou leite em pó, bolacha, achocolatado, café, material de limpeza (água sanitária e sabão em pó), material de higiene pessoal (shampoo, sabonete, creme dental, escova de dente, papel higiênico), pano de chão, rodo e vassoura (em bom estado) e os donativos podem ser entregues diretamente no Galpão da Solidariedade, que está situado à Rua Adolfo André, 1055, Centro. Lá estão as equipes que cuidam da separação e a entrega às famílias.

Na certeza da atenção e solidariedade de tod@s, agradecemos antecipadamente.

Atenciosamente

José Bernardo Denig
Prefeito da Estância de Atibaia

Edson Antônio Gonçalves
Secretário Municipal de Cultura e Eventos de Atibaia

Nicole Kubli
Presidente da Associação de Difusão Cultural de Atibaia

Vitor Carvalho
Diretor do Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual

João Baptista Pimentel Neto
Produtor Executivo Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual

Saskia Sá
Produtora das Mostras Competitiva e Iberoamericana

*********
Contatos:

6º FAIA
FESTIVAL DE ATIBAIA INTERNACIONAL DO AUDIOVISUAL
Atibaia – São Paulo – Brasil
Sítio na Internet: FAIA – Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual
Blog: FAIA2011 Blog
Email: faia2011@cineclubes.org.br
Comunidade: FAIA Comunidade NinG
Facebook: Comunidade no Facebook

ASSOCIAÇÃO DE DIFUSÃO CULTURAL DE ATIBAIA / DIFUSÃO CINECLUBE
6º Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual
Rua Dr. Osvaldo Urioste, 41 Centro
Atibaia – São Paulo
CEP: 12940-730
Fone: 11.44024296
Cel:11.84927373